Artistas animam iniciativa angolana de luta contra cancro da mama

0
61
Pérola e banda Muzangola no Outubro Rosa. Fotografia de Rafaela Guelengue

Cânticos, gritos, choros, lágrimas, abraços e emoções foram algumas das marcas da 4ª edição do “Outubro Rosa”, da Associação Semana Rosa Angola, ocorrida neste Sábado, 30, no Município de Belas, em Luanda. Pérola, Telma Lee, Liriane, Bu Cherry e Kyaku Kyadaff marcaram presença em palco para animar o público.

Com o objectivo de consciencializar a sociedade sobre a necessidade de prevenção contra o cancro da mama, a Associação Semana Rosa Angola promoveu o convívio com as guerreiras denominado “Outubro Rosa”, um evento que juntou artistas, médicos, enfermeiros, activistas sociais, empresários, jornalistas e cidadãos que enfrentam e venceram a doença.

Para além da homenagem aos médicos e parceiros, as guerreiras que enfrentam a doença agradeceram a associação não-governamental com a declaração de mérito pelas suas acções solidárias para salvar a vida de muitos angolanos que vivem com essa enfermidade.

Durante o testemunho dos problemas enfrentados para curar o câncer da mama, a jovem Carla João, de 19 anos, silenciou o evento com a revelação da história das suas lutas e batalhas para vencer a doença que foi lhe diagnosticada aos 11 anos de idade. “Não é fácil viver uma vida desta. Durante a operação que fui submetida, os médicos cortaram uma das minhas mamas e as minhas amigas abandonaram-me por pensarem que era uma doença transmissível.”, lamentou a jovem em prantos, acrescentando que o maior problema que ela enfrentou tinha muito a ver com a falta de informação.

Segundo a porta-voz do evento, Dalila Prata, Associação tem estado a desenvolver várias iniciativas para durante o ano virada para crianças e mulheres que têm vivenciado com o problema. “O evento de hoje marca o encerramento das nossas actividades. Durante o mês de Outubro tivemos várias palestras, acções de rastreio, recolha de doações, visitas aos centros de diagnóstico e tratamento de câncer e outras actividades nos referidos centros.”, frisou a responsável, sustentando que para fechar com o mês era necessário “um convívio com as guerreiras, que são aquelas mulheres que acompanhámos o ano todo, algumas ainda em tratamento e outras que felizmente já venceram o cancro da mama”.

A também co-fundadora do projecto revelou que os principais problemas que os pacientes diagnosticado têm enfrentado estão voltados para a falta de recursos financeiros para deslocações ao Instituto de Oncologia, alimentação, exames e assistência psicológica.

O director-geral do Instituto Angolano de Controlo de Câncer, Fernando Miguel, agradeceu a organização do evento pela homenagem recebida. “Para combater o cancro não bastam os médicos, enfermeiros e outros técnicos de saúde. Precisamos da conjugação de esforços de profissionais e a sociedade civil”, frisou o médico, acrescentando que há quatro anos, a associação juntou-se ao Instituto para o apoio à causa.

A Associação Semana Rosa Angola foi fundada por Dalila Prata, Maira Tavares, Tunísia Sebastião, Cátia e a Edna.

 

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorFilipe Zau é o novo ministro da Cultura
Próximo artigo“Não adianta ter imagem e não usá-la para o bem”, defende Kyaku Kyadaff

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui