“Se formos ao Norte e não só, encontraremos identidade cultural intacta”, defende Cloves Esteves

0
269
Cloves Esteves é uma banda angolana de música versátil. Fotografia de Domingos Barrete
- Publicidade -

O músico angolano e um dos elemento da banda Etno N’gola, teceu estas palavras, durante o Festival do Livro na Rua (Flir) que ocorreu recentemente, no Centro Cultural do Brasil – Angola (CCBA), em Luanda.

Falando em exclusivo ao Marimba Selutu, no terceiro dia do Festival, Cloves Esteves discordou de afirmações populares segundo as quais ‘os angolanos eram um Povo sem cultura’.

“Tem-se falado muito sobre a questão da identidade cultural e diz-se: ‘nós somos um povo sem cultura’! Isto não é verdade. Porque, se formos procurar [a identidade cultural] no Norte de Angola e não só, conseguimos encontrar a nossa essência, que está lá bem intacta.”, justificou o guitarrista e voz principal da banda, acrescentando que os músicos têm a responsabilidade de dar a conhecer a identidade angolana ao público.

Quanto à projectos futuros do Etno N´gola, o artista explicou que a banda se encontra em fase de finalização de um trabalho investigativo e a consolidar vários trabalhos musicais. “Estamos a terminar o nosso trabalho de investigação e a consolidar as músicas do conjunto, como aqui no concerto [do Flir]. Tem sido um ensaio aberto de experimentações com o público para testarmos a sua reacção ou receptividade.”, reforçou, sublinhando que desde o primeiro concerto da banda, comparando-o com o que tinham feito naquele dia, tem se notava uma evolução significativa do desempenho do grupo.

Por outro lado, Cloves Esteves apelou a existência de mais eventos como Flir, principalmente na periferia de Luanda. “Deve haver mais este tipo de evento e levar para os bairros ou os musseques [Luanda], assim como convidar a sociedade a participar ou colaborar. Aqui [no Flir], a entrada é livre ou não se paga.”, rematou.

Etno N´gola é uma banda angolana, composta por cinco elementos, que canta os géneros quilapanga, semba, tchianda e jazz. Nas músicas, usa as línguas umbundu, ibinda, kimbundu, tchokué, inglês, francês e português.

Originário da cidade brasileira de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, o Flir é um evento realizado anualmente, cuja terceira edição, em 2021, ocorreu de 5 a 10 de Outubro (de terça à domingo). O evento resulta de uma parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte, a Câmara Mineira do Livro, o Sesc Minas Gerais e as livrarias locais. Esta edição ocorreu de forma simultânea nas cidades de Belo Horizonte, Luanda e Paris (nesse caso, em parceria com a sucursal da Aliança Francesa, na capital mineira).

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorElsa Bárber testemunha acção de doação da cantora Glória da Lu
Próximo artigoDefendida necessidade de criação de licenciatura em Estudos Angolanos

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui