Artista plástico lamenta dificuldades e clama por apoios

0
199
Alex Machado é considerado pelos seus fãs como o Picasso de Angola. Foto: DR
- Publicidade -


Centenas de obras de artes podem ser esquecidas, ignoradas e jamais reconhecidas, se o grito de socorro de Alex Machado não for ouvido e atendido. O futuro Picasso de Angola carece de apoio financeiro para suportar as suas criações na área da pintura.

O elevado custo da tinta, obriga o artista a repensar sobre a utilidade das artes no país, diante de um silêncio gritante e distante de qualquer apoio, o jovem vira-se como pode.

E neste sentido, a tangente se alarga fora das suas possibilidade para o aperfeiçoamento e alinhamento da carreira, o que levou o artista Alex Machado a revelar ao Marimba Selutu que as unidades de tinta custam 6 mil kwanzas e pelas dimensões das telas que ousa pintar são necessárias várias unidades em tubos de cores para um trabalho de excelência.

Segundo o jovem, que se apaixonou pelas artes aos cinco anos, hoje é tido por críticos e apreciadores de artes, como promissor e talentoso, tendo as pinturas realistas e impressionistas como destaques das suas colecções.

Machado sente o profissionalismo a um fio do desencanto, pelo que lança a mão e grita por ajuda. “Não tenho outra fonte de rendimento”, atirou em desespero.

O também empreendedor cultural lamenta a falta de um curador de arte, que o possa encaminhar, avaliar a qualidade de suas obras e dar seguimento às exposições para um público diversificado.

“Sem um curador é muito difícil a realização de uma exposição, por mais que a pessoa tenha talento será muito difícil progredir sem a ajuda deste profissional e eu, infelizmente, estou a viver esta dificuldade. Preciso de alguém que invista em mim porque tenho talento e tenho provado isso através das minhas pinturas”, revelou Alex Machado.

O artista plástico começou na arte da pintura há cinco anos, actualmente tem transmitido aquilo que sabe ensinando artes a meio da crise, um artífice de manobras é aplicado para conseguir pequenas somas em kwanzas, com um número de cinco alunos, com os quais partilha as suas experiências sobre a tela, no Bairro Boa Fé, onde Machado, ganha vigor e pensa duas vezes, antes de desistir.

“Eu ensino muito nas aulas o desenho realista, que não foge muito da fotografia e isso os vai ajudar a desenvolver outros estilos da pintura, porque o realismo é o ABC das artes plásticas”, reforçou.

“Amar o Teu Próximo Como a Ti Mesmo”, “Perfeito”, “Time and Priority” e a “Beleza Acromática” preenchem as suas altas preferências do trabalho já realizado até aos últimos dias.

“Com o quadro Beleza Acromática expresso a plenitude e a beleza de uma mulher, que ela não é perfeita mas a plenitude lhe completa”, resumiu.

Sem um local especializado para expor as suas telas, Alex Machado tem procurado por escolas, onde livremente expõe os seus quadros de artes, aproveitando partilhar a maravilha do mundo das artes plásticas com o público.

Por: Delgado Teixeira

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorZumbi dos Palmares e da luta pela liberdade – Carlos Carvalho Cavalheiro
Próximo artigoJamie Foxx Hospitalizado de urgência com risco de vida

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui