Cidadania participativa será debatida em evento online

0
362
Mural da Cidania em Luanda. Fotografia de Fernando Guelengue

A Associação para o Bem de Angola – PRO BONO ANGOLA vai realizar na próxima quinta-feira, 9, pelas 16 horas, a primeira edição de um projecto deniminado “Live Pro Bono”, um evento online sobre a cidadania participativa em Angola. Artistas, académicos, activistas de direitos humanos e membros da sociedade civil vão debater sobre participação cidadã.

Segundo uma nota de imprensa que tivemos acesso, a iniciativa pretende elevar o nível de conhecimento sobre os direitos humanos, através da análise e promoção da relevância do envolvimento dos cidadãos na vida pública para o desenvolvimento do país.

Subordinada ao tema “A Participação Cívica dos Cidadãos na Vida Pública como Factor de Desenvolvimento de Angola”, a live que vai contar com a presença de prelectores como o activista e cientista social Nuno Álvaro Dala, o jurista e docente António Ventura e do advogado Bartolomeu Milton.

De acordo com a secretária-geral da Pro Bono Angola, Verónica Vieira, o novo paradigma que o mundo está a enfrentar levou a Associação a trabalhar mais com a análise dos modelos de participação dos cidadãos na vida pública. “Precisamos de criar espaços para os académicos poderem analisar e promover uma troca de ideias salutar sobre a consciência cidadã dos angolanos. A Ciência nos dá o aporte para encontrarmos as melhores formas de influenciar a participação dos cidadãos no processo de desenvolvimento de Angola”, rematou a responsável.

Com a missão de contribuir para a mudança de mentalidade dos cidadãos, defender e promover os legítimos interesses da sociedade nos domínios dos direitos humanos, da ética, da transparência e responsabilidade na gestão pública, foi criada a Associação para o Bem de Angola – Pro Bono Angola, em 2016.

Esta organização não-governamental, sem fins lucrativos, trabalha igualmente para a educação para a cidadania, a cultura e promoção da paz e seus desígnios, e do apoio assistencial aos grupos sociais vulneráveis, promovendo o desenvolvimento de Angola, a sã convivência e o bem-estar social das populações.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorGlória da Lu encanta no “Mississipi Jazz Festival”
Próximo artigoEscritor David Capelenguela distinguido no Huambo

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui