Aleluia! José Eduardo dos Santos Morreu – Té Macedo

0
75
- Publicidade -

Foi assim que acordei essa manhã, tendo estado com o coração posto em Angola. Ligo a TV mesmo antes de ter colocado o pé fora da cama e vejo o corpo de José Eduardo dos Santos chegar ao lugar do Memorial com a entoação de um Lírico Louvando com alegria: Aleluia!

Qual a razão de tanta alegria afinal? Nem a Ópera nem a Lírica podem a tudo servir. Como Cristã e como Mulher de Cultura não posso deixar passar em branco tal despautério.

Aleluia num Óbito?
A nossa Cultura tem fórmulas e formas próprias.
Temos um cancioneiro fúnebre rico e vasto para todas as horas. Há hinários, ainda que não seja o “Kamba diá Muenhu” porque até as amizades ora, são questionáveis.

Há inclusive temática neutral também para os pagãos.

SEXO E TRAIÇÕES: Com esse lembrete foi recebido JES na sua colocação a mesa. O tema Halleluia, de Leonardo Cohen de 1984 em síntese se traduz nisso:

1° Rei David que revelou habilidades musicais, era dono de 1º ACORDE SECRETO que o levou a Corte Real. Assim ascendeu ao poder.

2° Luxúria e traições por referência a David e Betsaida, o marido dessa, General, David cobiçou a Mulher do General e com ela cometeu adultério.

3° Fala de Sansão e Dalila, estória de traição, mas uma vez a mulher usada para enfraquecer o forte Sansão.

Jeff Buckley posteriormente trás o mesmo tema com outra nuance questionando o verdadeiro significado do Nome de Deus,questionando a Fé espiritualidade.

Porém, o mote traição nos relacionamentos e a fraqueza humana mesmo quando tem um poder e dons acima dos demais, é um motivo condutor.

Trás a lembrança de um relacionamento à altura em que ele respirava boa saúde, que funcionava como um Halleluia. Além da leitura que se extrai da ironia e jogo poético, outra grave leitura daqui é parida:

Essa gente é desprovida de qualquer noção, sem Ética, espiritualidade e profundo conhecimento da Cultura do nosso Povo angolano.

Antes fosse recebido pelas Marimbas de N’Gola Kiluanji, instrumento de Corte e eleição Real, usada para empossamento e funerais.

Ainda é tempo de salvar as cerimónias, levando a cultura e tradições fúnebres de Angola. Deus nos livre desses demónios encarnados com aparência de gente.

Té Macedo é cantora lírica angolana licenciada e pós-graduada em Direito e Diplomada em Canto e Piano pelo Conservatório Nacional de Lisboa, onde se encontra a residir.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorO lado artístico e revolucionário de José Eduardo dos Santos
Próximo artigoFuneral de Estado de José Eduardo dos Santos será hoje

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui