Luís Mendonça lança obra poética “Software Carnal”

0
337
José Luís Mendonça e a capa do seu livro software carnal. Foto: DR
- Publicidade -

O jornalista e escritor angolano José Luís Mendonça vai lançar no próximo dia 30 do corrente mês, no Centro Cultural Português, em Luanda, a sua mais recente produção poética. A cerimónia do evento estará aos cuidados de Djanira Barbosa. 

Chancelada pela editora Kalunga, a obra que comporta 37 poemas contará com a apresentação crítica de Fátima Fernandes e a palavra da leitora Conceição Neto, num evento que será igualmente palco de poesia e canto dedilhado nas cordas da viola de Wilmar Nakeni, Lala e Pedro Bélgio.

De acordo com a nota de imprensa chegada à redacção do Portal Marimba Selutu, o livro que marca o lançamento da editora no mercado, narra vários aspectos relacionados a um mar de erotismo e devoção à Mulher. “Um início de século cada vez mais online e cada vez menos sentimental, em que Software Carnal aparece como um convite ao retorno dos afectos, contra a conflitualidade social inaceitável e arcaica, através da aposta inadiável na devoção à Mulher”, lê-se na nota.

O mesmo documento ilustra parte do poema que dá título ao livro nos seguintes moldes: “é nesse registo abobadado que Eros faz morada. E é nele também que o poeta digitaliza os versos, com recurso ao software inamovível e desconhecido da origem da Vida. Esta incursão dialéctica na vertigem do estar neste mundo, que só se apazigua no andar a dois (macho-fêmea) resulta em versos fundados sobre a melodia das coisas mais simples da Terra, ‘uma vírgula, um caracol, uma côdea de pão seco/ bicado por três galinhas” (pág.17), porque é delas que, a final, se alimenta o espírito. É neste outro registo que o Sentimento faz morada”.

“Os 37 poemas de Software Carnal, sustenta e perfazem um hino à misteriosa e infinita expansão do Universo que aqui, neste lugar chamado Terra, se reedita no ventre expansivo em tempo de gravidez, nos olhos húmidos e luminosos da Mulher dotados da ciência maternal de ver e na sede dos dedos a tactear a liquidez das coisas que nos rodeiam. Poesia de uma maturidade impressionante, que coloca a Poesia angolana no patamar cimeiro da contemporaneidade lírica.”, finaliza.

Perfil do autor

José Luís Mendonça é um escritor e jornalista angolano que nasceu a 24 de Novembro de 1955, na província do Kuanza – Norte, no Golungo-Alto, Angola.

Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, tem vindo a exercer, também, o jornalismo em diversos jornais angolanos.

Também foi, em 2015, Prémio Nacional de Cultura e Artes, vencedor do Prémio Jardim do Livro, tendo igualmente dedicado mais de uma década ao Jornal CULTURA, quinzenário angolano de Artes e Letras. 

Mendonça tem sido um verdadeiro produtor e divulgador de conhecimentos através da escrita, depois de ter lançado o seu primeiro livro “Chuva Novembrina”, em 1981. É um autor que começa antes da independência e gravita à volta de uma opinião sustentada no retrato que faz da realidade do país, antes, durante e após 75.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorA Fome e a Seca da Cultura do Cunene – Fernando Guelengue
Próximo artigoUNITA reconhece empenho de músicos na marca da cidadania

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui