Semba e Corredor do Cuanza classificados como património de Angola

0
142
Filipe Zau é o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente. Foto: DR
- Publicidade -


O anúncio foi recebido com júbilo, durante abertura da mesa redonda “A Salvaguarda do Património Cultural, Material e Imaterial, em Angola”, em alusão ao Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, comemorado no Palácio de Ferro, em Luanda.

Durante o certame presidido nesta terça-feira, 18, pelo ministro da Cultura e Turismo, Filipe Zau, foi manifestado que o instrumento musical ‘Dikanza’ e o vestuário típico de Luanda ‘Bessangana’ também foram adicionados à lista de bens classificados como património histórico-cultural nacional.

Para o titular da pasta da Cultura e Turismo, estes patrimónios levam a que Angola tenha orgulho em conservar uma pluralidade de bens culturais que simbolizam uma das maiores riquezas culturais e humanas de qualquer comunidade.

“As mais de três centenas de bens classificados em todo o país, a recente entrega da candidatura dos ‘Sona’ a Património Cultural Imaterial da Humanidade, assim como as várias intervenções de recuperação de edifícios públicos e privados classificados como património histórico-cultural nacional são bons exemplos dos esforços empreendidos pelo executivo angolano”, afirmou o governante.

O também académico considerou ainda ser preciso reconhecer a responsabilidade das instituições tanto públicas como privadas, que por via de palestras, exposições temáticas e publicações periódicas auxiliam para disseminação e identificação do património e sítios culturais do país.

Recorda-se que a ‘Sona’, que significa ‘escrever na areia’, era uma forma de comunicação dos povos ancestrais da região leste do país, denominada Tchokwé.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorBrasileira usa residência para construir carreira de jovens artistas
Próximo artigoLançamento do livro “Casa de Renda”

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui