“Uíza é uma plataforma grátis para sempre”, Chris Masters

0
247
Cris Masters é o director geral da WEZA.
- Publicidade -

Iniciativa pretende dar um contributo ao agronegócio, por meio do lançamento do Portal ao mercado nacional. A visão é facilitar o comércio dos intervenientes deste sector.

Estas declarações foram feitas, nesta quarta-feira,6, durante a apresentação do Portal  do Agronegócio Angolano, Uíza. O evento aconteceu na Agência de Investimento Privado e Exportações de Angola (AIPEX ), em Luanda.

Falando à imprensa, o director geral da WEZA, Chris Masters, afirma que o portal pretende providenciar uma plataforma online de fácil acesso, mas que se potencie dentro do âmbito do agronegócio, que é alargado. “A compra, venda e aluguer são as bases que se pretende. Para isto, é preciso registar-se no site, que é grátis. A ideia é criarmos uma plataforma acessível em que todos possam contribuir.”, explicou Chris Masters, sustentando que o Uíza é uma plataforma útil e que todos os intervenientes do agronegócio devem participar.

O director referiu igualmente não compreender, numa era como hoje, não haver uma ligação entre produtores de mel e os compradores. “Alguém estava a falar-me de que uma empresa precisa de comprar mel em grandes quantidades. É incrível que hoje em dia, com tantos produtores de mel que existem, não haja uma ligação entre quem o tem e quem o quer comprar. Portanto, esta plataforma une todas estas vontades”, observou, propondo uma medida que ajude o agronegócio angolano a dinamizar-se cada vez mais para unir todos os intervenientes, os quais são compostos pela logística, produção e processamento.

ACESSO À INTERNET

Quanto a esta ferramenta, Chris Masters responde que a dificuldade de acesso dos camponeses ao Portal é uma das desvantagens encontradas, mas é algo que a sua equipa não consegue controlar. “A verdade é que Angola e o agronegócio não estão na posição em que todos nós desejaríamos e é necessário queimar alguma etapas. E uma plataforma como esta, iniciativa privada, está a queimar algumas etapas.”, fez saber, acreditando que se olharem para as populações urbanas e que talvez estejam mais capacitadas e têm possibilidade de entrar na agroindústria, vão comprar os produtos aos camponeses para depois fazerem transformação e vender localmente.

Por sua vez, o Secretário de Estado para Agricultura e Pecuária, José Carlos Lopes da Silva Bettencourt, declara ser uma apresentação de mais um instrumento que irá complementar uma série de outros, que já estão em vigor e procurarão encontrar a melhor forma de intercâmbio entre o produtor, comprador, comerciante, vendedor, investidor e todos os players que se encontram no mercado da agricultura. “Esta plataforma será mais um veículo, que nos vai permitir e ajudar a resolver uma das situações que mais nos preocupa, que é a comercialização de produtos agrícolas.”, observou, justificando que com este portal, o Ministério da Agricultura e Floresta saberá quem são produtores, qual é o preço dos produtos, as suas localizações e quem irá buscá-los com mais facilidade.

José Bettencourt sustenta também que o Uíza vai ajudar e complementar o processo que começou com o Decreto 23/19 publicado recentemente pelo Presidente da República, João Lourenço, o qual vem delimitar e colocar algumas balizas relativamente à protecção dos produtos nacionais. “Com este decreto, esta medida vem proteger tudo aquilo que é produzido internamente e facilita a aquisição dos mesmos produtos, que trarão consigo muitas valências: uma delas é a melhor qualidade e oferta ao consumidor final.”, concluiu. 

O administrador da Área de Avaliação de Propostas de Investimento da AIPEX, Lello João Franciscodiz que o Portal do Agronegócio é importante para divulgação deste sector, pois ao se viver  hoje a “Quarta Revolução”, a “Era Digital”, têm de tentar utilizar o benefício da tecnologia.

“Entendo que o Portal Uíza é isto. Ou seja, visa juntar no mesmo espaço virtual compradores, vendedores, prestadores de serviços e todos os players (agentes) do agronegócio. Esta iniciativa, vai criar oportunidades de negócios, que na essência acabam por gerar investimentos que entram pela AIPEX.”, esclareceu, sublinhando que o Uíza também será uma ferramenta importante para promoção e captação de investimentos, por isso, a AIPEX abraçou esta iniciativa da WEZA.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorPrimeira-Dama da Itália visita Palácio de Ferro
Próximo artigo“É necessário olharem para nós com respeito”, Nanutu

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui