“Jacob Desvarieux deixa um legado notável à defesa da cultura”, defende Jomo Fortunato

0
240
Jomo Fortunato é o Ministro da Cultura Turismo e Ambiente. Foto: DR
- Publicidade -

Estas palavras foram proferidas neste sábado, 31, pelo ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, em nota de condolências.

De acordo com a nota de imprensa chegada à nossa redacção, Jomo Fortunato realça o legado de Jacob Desvarieux para a Música Africana. “Jacob Desvarieux deixa um legado notável que servirá de alicerce à defesa da cultura, em particular da música de matriz africana.”, afirmou o governante, recordando que o líder do Kassav’ é um “eterno” amigo de Angola, do qual esteve pela primeira vez no País com o KASSAV’, em 1985, aquando de um concerto ocorrido no Estádio dos Coqueiros, em Luanda.

O ministro que muito escreveu sobre o perfil de artistas angolanos sublinhou igualmente a importância do guitarrista no music hall angolano. “Ao longo dos anos, Jacob Desvarieux interpretou várias músicas que fizeram sucesso, em duetos com cantores angolanos, com destaque a nomes como Eduardo Paim, Nelo de Carvalho, Jamol, Yola Araújo e Tony N’guxi.”, destacou Jomo Fortunato, endereçando, em seu nome e de todos os funcionários e colaboradores do Ministério que dirige, os sentimentos de pesar à família do músico.

Jacob Félix Desvarieux morreu na última sexta-feira, 30, na Ilha de Guadalupe (Antilhas Francesas), vítima de doença.

Jacob Desvarieux nasceu aos 21de Novembro de 1955, em Paris, França, é membro-fundador do famoso grupo KASSAV’ e foi um dos principais impulsionadores do género musical Zouk, desde 1979.

Deixe o seu comentário
Artigo anterior“Jacob Desvarieux foi de uma simpatia e inteligência cultural refinada”, revela analista Domingos das Neves
Próximo artigoHistoriador e escritor brasileiro é o novo colunista do Portal Marimba

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui