“Jacob Desvarieux foi de uma simpatia e inteligência cultural refinada”, revela analista Domingos das Neves

0
375
Jacob Desvarieux estava a fazer ouvir um interessante projecto musical com tónicas da musicalidade angolana. Foto: DR
- Publicidade -

Depois da morte da maior estrela mundial do Zouk, ocorrida nesta sexta-feira, 30, várias personalidades africanas e mundiais estão a manifestar a sua opinião sobre a dimensão cultural e personalidade do artista que emprestou a sua vida em prol da cultura.

Segundo o analista social e docente universitário angolano, Domingos das Neves, que divulgou neste sábado, 31, foi em Lisboa onde teve o prazer de conhecer o artista.

“Tive o prazer e a oportunidade de conhecer e conviver com o Grande Jacob Desvarieux, em Lisboa. A primeira vez que nos encontramos foi precisamente em Lisboa, já faz alguns anos”, escreveu na sua página oficial do Facebook, acrescentando que Jacob Desvarieux foi uma pessoa de uma grande humildade e elevação de alma, simplicidade augusta e intuição arguciosa, uma simpatia e inteligência cultural refinada.

O jurista angolano laureado no Institutum Utriosque Iuris da Pontifícia Universidade de Latrão, Roma, disse ainda que por meio dos Kassav’, Jacob Desvarieux foi amante de muitos povos e culturas com a qual entrou em contacto, tal como é o caso de Angola.

“Passam as pessoas mas ficam na memória dos que ainda ficam as suas obras. Descansa em paz o sono dos justos, meu caro amigo!!!”, rematou.

Deixe o seu comentário
Artigo anterior“A digitalização do audiovisual aumentou a concorrência”, defende fotógrafo Afonso Ndongala
Próximo artigo“Jacob Desvarieux deixa um legado notável à defesa da cultura”, defende Jomo Fortunato

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui