Lançada plataforma PIC projectada para amplificar actividades culturais

0
54
Porta-voz da plataforma, Kelvin Vicente Memuana. Foto: Arão Martins.
- Publicidade -


Com o objectivo de dar maiores visibilidades as actividades culturais no domínio do teatro, pintura, dança, literatura, capoeira e outras disciplinas artísticas, permitindo o desenvolvimento do sector artístico da província de Benguela.

Apresentada, recentemente, ao Governo Provincial de Benguela, por diversos líderes de associações culturais locais, a Plataforma de Intercâmbio Cultural (PIC), é uma iniciativa que visa promover e desenvolver o sector da Cultura local.

De acordo com o  porta-voz do projecto e presidente da Associação  Provincial  de Teatro de Benguela, (APROTEB), Kelvin Vicente Memuana, a plataforma foi elaborada com a participação de vários líderes do Movimento Cultural da Província.

Os líderes, explicou, juntaram-se para fazer uma única plataforma de inclusão das artes  e  dinamizar o movimento cultural, na promoção, valorização e preservação das culturas locais.

Kelvin Vicente Memuana disse que pretendem também conseguir elaborar um plano cultural para a província, de modo equilibrado e inclusiva. “O que tem acontecido é que muita das vezes, há choque nas actividades e queremos evitar e melhor distribuir os programas culturais”.

Kelvin Vicente Memuana acrescentou que cada agente cultural, na plataforma, deve indicar e apresentar o calendário das actividades, com as respectivas datas e meses, na qual vão ser desenvolvidas as actividades.

O objectivo da plataforma apresentada ao vice-governadora provincial para o sector Político, Social e Económico, Lídia Amaro, garantiu, vai acabar com as “injustiças que se verificam na classe artística”.

O porta-voz da plataforma exemplificou que a província tem artistas filiados na União Nacional dos Artistas e Compositores – Sociedade de Autores (UNAC-SA), e quando há espectáculos, como acontece na fase de aniversário da cidade, nunca são chamados a dar o seu contributo. “Queremos acabar com essas injustiças e beneficiar a quem realmente merece esses benefícios”, explicou.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorTrio brasileiro actua no Instituto Guimarães Rosa
Próximo artigoMorreu reverendo José Belo Chipenda

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui