Morreu historiador angolano Sony Kambol Cipriano

0
314
Sony Kambol Cipriano é um pesquisador doutorado em História das Artes em Paris. Foto: DR
- Publicidade -

O pesquisador científico e docente universitário angolano Sony Kambol Cipriano morreu na madrugada desta quarta-feira, 15, à caminho do hospital, no município de Viana, em Luanda. A equipa médica descartou qualquer ligação à COVID-19.

Segundo informações prestadas pelos familiares à redacção do Portal Marimba Selutu, Sony Kambol Cipriano sentiu-se mal no último Sábado, 11, altura em que dirigiu-se a uma clinica mais próxima, onde foi submetido a um elevado número de exames que deram negativo.

“O pai faleceu de derrame cerebral, tendo ficado apenas três dias incomodado, sem qualquer ligação à Covid-19 ou complicações da mesma. Como não havia necessidade de ser internado, a clinica deu alta para ir para casa. O óbito ocorreu quando estivemos à caminho do hospital, chegando já sem vida”, revelou o filho do malogrado Rafael Yav Kambol e docente universitário, em exclusivo ao Portal Marimba Selutu.

Rafael Yav Kambol, professor de História de África no ISCED de Luanda, sustentou igualmente que o desaparecimento físico do seu pai representa a perca irreparável de uma biblioteca vida para o país. “Para mim, ele sempre foi a minha bússola no Trabalho de Fim de Curso em Ensino de História e na dissertação que estou a fazer para o Mestrado. Ele sempre foi a minha primeira fonte porque além de pai, era o meu guia científico. Estou no chão”, lamentou o filho, sustentando que ainda não foi decidido a data e o local para a realização do funeral do historiador que faria 65 anos no dia 25 do corrente mês.

Especializado em História da Arte Africana Contemporânea sobre Angola, Sony Kambol Cipriano trabalhou em investigação científica nas áreas de História de Angola, Arqueologia, Antropologia e Geografia Histórica.

PERFIL DO HISTORIADOR

Nascido na cidade de Saurimo, província da Lunda Sul, aos 25 de Setembro de 1956, Sony Kambol Cipriano, fez os estudos primários no Instituto Brinton de Mwajinga – Sandoa, na República Democrática do Congo.

Foi Doutorado em História da Arte pela Universidade de Paris I – Panthéon – Sorbonne (França), com a menção honrosa e parabéns na categoria de Investigador Coordenador, em 2008.

Em 1982, obteve a sua primeira licenciatura na especialidade da História Económica, Universidade de Lubumbashi, igualmente com menção “Honrosa e Parabéns”, o que lhe valeu a prossecução da segunda licenciatura na Universidade Paris I – Panthéon – Sorbonne (França) onde, em  1994 obteve o grau de Mestre, também com a menção Honrosa, dando-lhe acesso ao doutoramento que concluiu em 2008.

Na categoria de Diploma de Estudos Aprofundados (DEA), o investigador obteve o grau de Mestrado em História da Arte Africana, pela mesma Universidade de Paris, alcançando igualmente a menção honrosa, em 1994.

Face ao seu trabalho em prol da academia angolana, em 1985 ingressa no Instituto Superior de Ciências de Educação – ISCED – Luanda, como assistente estagiário e assistente, passando para professor auxiliar três anos depois.

De 2009 à 2013, foi nomeado Investigador Principal, categoria equivalente a Professor Associado segundo o Estatuto da Carreira de Docente, alcançando durante os sete anos seguintes a nomeação de investigador coordenador  do ISCED-Luanda, categoria equivalente a de Professor Titular, segundo o Estatuto da Carreira de Docente.

Nas Universidades Agostinho Neto e Kimpa Vita, Sony Kambol Cipriano foi professor de Metodologia de Investigação Cientifica, História, coordenador de Trabalhos de Fim do Curso (TFC) para Licenciatura, foi Presidente da Mesa da Assembleia da do ISCED de Luanda, foi Membro do Senado do ISCED de Luanda, Co-fundador do Centro de Estudos Sociais e Desenvolvimento – CESD, Luanda.

Entre os cargos que já exerceu os destaques vão para coordenador e decano da Faculdade de Economia da Universidade Kimpa Vita, no Uíge, Vice-reitor para Área Académica, da VIIª Região Académica, Uíge, Director Geral do Centro Nacional de Investigação Cientifica (CNIC), em Luanda, Coordenador da Comissão Instaladora do Centro Nacional de Investigação Cientifica (CNIC), assessor dos Assuntos Científicos junto do Ministro da Ciência e Tecnologia, Director do Museu do Dundo, Chefe de Departamento de Estudos e Projectos do Museu Nacional de Antropologia e Chefe de Departamento de Museus Nacionais e Regionais de Angola.

PUBLICAÇÕES CIENTIFICAS

Durante a sua vida académica, publicou vários trabalhos científicos, nomeadamente “ABC da Metodologia de Investigação Científica – Como Elaborar uma Monografia de Licenciatura”, publicado pela editira Mayamba Edições, em 2020; “Mapa Etnico–Escultural dos Povos de Angola”, resultado da dua Tese de Doutoramento, em 2008;  « L’art sculptural des Lunda et Tshokwe d’Angola dans une perspective historique: Critique bibliographique », em 1995, em Paris, França; “História e Cultura dos povos Lunda-Tshokwe”, em 1997, em Lisboa, Portugal; «Endiama – Uma Empresa Diferente: Rumo ao Futuro, Lisboa, 1997; « Le Musée de Dundo face à la guerre », In: AFRICOM – CONSEIL INTERNATIONAL DES MUSEES AFRICAINS, Assemblée Constituante ; “Algumas considerações sobre a identidade nacional angolana”, In: DEMOCRACIA E IDENTIDADES NACIONAIS, Caderno de Estudos Sociais do CESD, publicação trimestral, nº 00- Julho, Luanda, 2004, pp., 45-54;

MISSÕES DE PESQUISAS

Em termos de experiências em missões de pesquisas nas bibliotecas, centros de investigação científicas e museus, Sony Kambol Cipriano destacou-se nas bibliotecas do Instituto de História de Arte, Paris I –Sorbonne, da Universidade de Paris I- Panthéon Sorbonne, do Museu da Oceânia, Paris, da Universidade Louvain–la-Neuve, Bélgica, do Museu de Louvre, Paris e da Sociedade de Geografia de Lisboa.

Entre os museus da Oceânia e de L’Homme, em Paris, de Neuchatel, na Suíça, Antropológico de Dundo, na Lunda Norte, em Angola e no Laboratório Antropológico de Coimbra, Portugal.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorUNITA reconhece empenho de músicos na marca da cidadania
Próximo artigo“Participar do Festival da Canção é preencher o currículo do artista”, afirma Glória da Lu

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui