Artistas dão voz aos 20 anos de activismo cultural da Terceira Divisão

0
31
Panfleto do espectáculo dos 20 aos de trabalho da Terceira Divisão. Foto: DR
- Publicidade -

Os 248 meses de existência da Terceira Divisão – Movimento de Hip Hop de Intervenção vai ser marcado com um espectáculo cultural de poesia e música este Sábado, 17, em Cacuaco. O evento acontece num dia em que jornalistas angolanos marcham em protesto pelo fim dos ataques à Classe.

Para além do destaque ser a poetisa Joice Zau, autora do viralizado poema “Vão Gostar”, o evento contará com as actuações de Flagelo Urbano, Vedeta MC, Sulfúrico, Jazigo, Jaime MC e dos poetas Domingos Dembo e Voz do Silêncio. Todos os artistas e membros fundadores da Terceira Divisão estarão presentes com outros convidados da Sociedade Civil e jornalistas.

Rappers do Movimento Hip Hop Terceira Divisão. Foto: Cedida

De acordo com José Gomes Hata, da organização, Joice Zau é membro do movimento Terceira Divisão e nos últimos tempos tem se destacado por participar de eventos internacionais como o Campeonato do Mundo de Spoken Word, realizado no mês de Outubro último, em Bruxelas, capital da Bélgica.

Fundada em Cacuaco a 10 de Abril de 2002, por José Gomes Hata, José Pascoal Mbambi, Kizembe, Vancleef, Dr Jotta,  Samayonga, Sodoma e tantos outros que se juntaram ao grupo no ano seguinte.

Sob liderança de José Gomes Hata «Cheick Hammed Hata», o Movimento usa elementos de destaque da Cultura Hip-Hop como o rap, graffiti, e break dance, para denunciar as desigualdades sociais e políticas que se vive no distrito urbano do Kikolo (Cacuaco-Luanda) e de modo geral em Angola.

Influenciados pelos ideias de igualdade e liberdade entre os homens, as mensagens deste agrupamento de pressão usa uma linguagem dura nas suas canções como sinal de protesto à miserabilidade que cada angolano enfrenta, causada, como diz o seu manifesto, pela “corja de ladrões do MPLA que roubam o povo angolano desde 1975”.

Com principal inspiração na Carta da União Africana de 1963, os activistas têm o respeito pela palavra dada, a irmandade, a valorização de todo o tipo de conhecimento, a responsabilização e prestação de contas, a dignidade e respeito à mulher africana, a luta pela pátria e a destituição do MPLA, a protecção dos idosos como reservas morais, bem como a divulgação da cultura de paz e do amor entre os seus princípios fundamentais.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorNanutu antecipa Natal no Café 21
Próximo artigoJornalistas protestam e criticam perseguição em Angola

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui