Domingos Fernandes lança “Memórias – Num Diário Fragmentado”

0
46
Domingos Fernandes é filósofo e jurista angolano que desempenhou a função de director da Sociedade Angolana dos Direitos de Autor. Foto: DR
- Publicidade -

O evento será palco de um momento cultural com o grupo teatral Jovens da Mulemba e terá Cláudio Silva como mestre de cerimónia. A participação é livre, mas impõe o uso de máscara facial.

O Centro Cultural Português “Camões”, em Luanda, vai acolher na próxima quinta-feira, 22, o lançamento de quatro volumes de memórias de Domingos Fernandes de Barros Neto. A apresentação crítica da obra, comercializada ao preço de 3.500Kz, será feita pelo escritor e jornalista José Luís Mendonça, num suporte da Editora Kalunga, responsável pelo lançamento e sessão de outógrafos.

De acordo com a nota de imprensa chegada à redacção do marimba Selutu, obra “Memórias – Num Diário Fragmentado” (Volume I, II, III E IV)” é uma quadrilogia que forma um edifício verbal de fé, estórias de vidas humanas, praxis de um caminho traçado em permanente diálogo com a imponderável metafisica do acontecer.

O primeiro volume narra a luta intimista de um jovem seminarista entre a vocação para o sacerdócio e o apelo da selva, em que o lobo se salva da batina e emite latidos na floresta de betão, ocorrida em 1971.

“A partir do segundo volume, 1972, assiste-se à entrada desse mesmo lobo cristão na caça da sobrevivência numa sociedade caracterizada pelo domínio colonial, em que a vida militar é uma fornalha a temperar o aço da vontade de viver”, refere a nota.

Na mesma nota de imprensa lê-se que o volume III, de 1974, marca o tempo da instabilidade que entrou em Angola, com o 25 de Abril. “O quarto volume encerra aquilo que releva do registo global da quadrilogia: a História de Angola nos seus períodos mais decisivos, com o 27 de Maio de 1977 a definir a fronteira entre a liberdade e o medo de ser angolano”, sustenta. 

A obra foi trabalhada por uma outra editora, estando apenas a Editora Kalunga responsável pelo evento de apresentação, venda e sessão de autógrafos, sendo comercializada no valor de 3.500,00 AKz, e a participação é livre, porém impõe o uso de máscara, por razões pandémicas.

A Editora Kalunga é uma iniciativa empreendedora jovem e que actua na edição, livraria e papelaria.

Entre as suas obras publicadas constam os poemas “Ulungu”, de 1995, “Terra Nova”, de 2000, “Harmonia Silenciosa”, de 2016, “Sinfonias: Reflexões, Ensaios e Crónicas”, de 2010, “N’zaji: O Último Contratado”, de 2016, “O Rumor Das Coisas”, de 2017, “Brisa das Palavras”, de 2017 e “O Roteiro De Laetis Sambondu”, de 2019.

PERFIL

Nascido no Cazengo, província do Kwanza Norte, em 1945, Domingos Fernandes de Barros Neto viveu a sua infância Cambambe, Dondo, e em Luanda onde concluiu os ensinos primário e liceal.

Formou-se em Filosofia na Itália e, após a Independência de Angola concluiu o curso de Direito na Universidade Agostinho Neto.

Leccionou nos liceus de Luanda, Bailundo, Huambo Saurimo e Dundo, em Angola e trabalhou na Embaixada de Itália em Angola como tradutor, assistente comercial e adjunto da área da cooperação universitária italo-angolana.

Trabalhou igualmente como director da SADIA – Sociedade Angolana dos Direitos do Autor e agora reformado, dedica-se actualmente a actividade de advocacia e, sobretudo, de sistematização literária.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorArtista e fotógrafo norte-americano William Klein morre aos 96 anos
Próximo artigoArtistas que apoiaram o regime e os que defenderam a alternância – Fernando Guelengue

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui