“Fui para recompor a soberania do Rei Ndjumba Tchinduli”, afirma Jurista Elias Lucamba

0
347
Elias Catito Lucamba é pesquisador e jurista angolano. Foto: Domingos Barrete

O pesquisador e jurista Elias Catito Lucamba teceu estas declarações nesta segunda-feira, 2, depois da sua chegada a Luanda, vindo da comuna de Tumbulo, município de Cubal, província de Benguela, onde foi um dos prelectores da Mesa Redonda sobre o «Reino de Ndundumba».

Para Elias Lucamba, é necessário que os angolanos começam a trabalhar para o esclarecimento cultural e científico de todos os aspectos ligados a nossa cultura e tradição. “Durante a minha apresentação, informei aos participantes sobre a necessidade de começarmos a falar sobre a importância de se repor a verdadeira soberania que pertence ao Rei Ndjumba Tchinduli, “Nduli”, do seu reino Ndundumba, no município do Cubal”, defendeu o jurista e pesquisador, acrescentando que ao longo das suas pesquisas sempre colocou na linha da frente a urgência em resgatar a verdadeira identidade dos povos autóctones do país.

Em entrevista exclusiva ao Portal Marimba Selutu, Elias Lucamba, que também é advogado e exerce a actividade advocatícia junto do Conselho Nacional dos Direitos Humanos e Fundamentais – Sociedade Civil (CNDHF-SC), reconheceu  que a comunidade local sabia da verdadeira autoridade tradicional que possuía, mas não imaginavam que tal narrativa viria de um académico que reside em Luanda.  “Todos não entendiam como um académico proveniente de Luanda teria tanta informação relacionada a eles. Mas a verdade é que eu sou um dos membros da linhagem do rei Rei Ndjumba Tchinduli, registado no civil como Munda Tunda”, esclareceu.

Até a fase culminar do colono português, o Reino Ndundumba estava representado pelo Rei Munda Tunda por ser sucessor na linha recta do rei Tunda Ndjongo Kandjumba, ou simplesmente Ndjumba, na margem do rio Catumbela para Cubal.

Importa referir que o evento se enquadrou nas festividades alusiva ao 54º aniversário da Comuna de Tumbulo, município do Cubal e contou com a presença do administrador municipal adjunto do Cubal, Inácio Tchipongue,  administrador de Tumbulo, Manuel Lima, o primeiro administrador de Tumbulo na época da Independência Nacional, Evaristo Epalanga, seus sucessores, Sambo, Tchipeio, Fernando, representantes das autoridades tradicionais, representantes da Igreja Católica e da IESA, membros da sociedade civil, amigos da comuna, bem como nativos e aqueles que se deslocaram à comuna para as festividades.

Nascido no Cubal, Elias Catito Lucamba, é jurista e advogado, pesquisador, membro-fundador da Associação Científica de Angola, membro de direcção do Conselho Nacional dos Direitos Humanos e Fundamentais –Sociedade Civil, professor de História e Introdução ao Direito e consultor empresarial. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, na especialidade de Jurídico-Civil, na opção de Recursos Naturais.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorA Capoeira Angola… De Angola? – Carlos Carvalho Cavalheiro
Próximo artigoImoshi realiza “Casting Nacional N’gola” em Luanda

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui