Mozier Jocand lança “Sinos do Evangelho” na União dos Escritores

0
115
Mozier Jocand é pseudónimo literário de Moisés Joaquim Candumbo. Foto: DR
- Publicidade -


O escritor e poeta angolano Mozier Jocand vai apresentar a sua mais recente obra literária na próxima terça-feira, 30, na União dos Escritores Angolanos, em Luanda. Chancelada pela Satchi Editora, a obra será apresentada pelo professor Pedro Mayamona.

Baseado nos valores como amor, perdão, respeito e ajuda mútua, a obra é um poemário composto de 54 textos em que o sujeito poético apresenta realidades sobre a vida dos homens em sociedade e a necessidade de harmonia neste convívio.

De acordo com a nota de imprensa enviada à redacção do Marimba Selutu, o eu lírico da presente obra chama igualmente atenção às práticas erradas ocorridas no mundo atroz e da necessidade de os homens voltarem para si mesmo, numa introspecção sobre o bem.

“Alicerçados na esteira de Bussulo DoLivro (2018), o sino funciona qual o quebrar de um murmúrio do silêncio, refém da realidade que decide esculpir no evangelho, um silêncio gritante numa oficina viva em que trabalha a palavra para abafar as chaminés da intolerância religiosa e do sacrifício com que faz o homem e a sociedade aos olhos de Deus nos dias de hoje”, lê-se no documento.

Em entrevista exclusiva ao Marimba Selutu, Mozier Jocand referiu que a palavra entendida como ponte para outro lado, para além da opressão da liberdade é Deus, não só no âmbito espiritual, mas também, da libertação social, num contexto adverso cujas vontades políticas dos homens transformou-os em deuses denominacionais.

“Dá-se destaque aos zelosos pregadores das boas novas. Porquanto, a Evangelização constitui-se no foco principal da abordagem que o manual traz. Dali o facto do título ‘Sinos do Evangelho’. SINOS, afigura-se como um instrumento que serve para despertar ou chamar atenção de ou sobre algo”, sustentou o autor de “Murmúrios do Silêncio”, poesia editada pela Saoletrar Editora, em 2018.

O também prosador e ensaísta defende que ser sóbrio em tudo, resistir as peripécias e fazer a obra de um evangelista, afigura-se no cumprimento do Ministério Religioso pelo qual os obreiros são chamados e manifesta-se através do imperativo do ‘idem – pregai o Evangelho, ensinai a guardar o bem e repudiar o mal’.

“Fomos comissionados e selados pelo Espírito Santo provido de Deus. É responsabilidade de todo ungido anunciar as boas-novas aos pobres; da mesma sorte, enviados, para proclamar a libertação aos cativos, restaurar os cegos, pôr em liberdade os oprimidos e anunciar o ano aceitável do Senhor. Logo, o tripé do Evangelho remete-nos a Anunciar, Renunciar e Denunciar”, finalizou o também pesquisador científico.

Nascido do amor de Fonseca Candumbo e de Felícia Joaquim no 14º dia do mês de Julho de 1984, no bairro Lixeira do Município do Sambizanga – Luanda/Angola, Mozier Jocand é pseudónimo literário de Moisés Joaquim Candumbo.

É técnico Superior em Politologia e Ciência da Administração pela FCS-Universidade Agostinho Neto e American Liberty University, através do Gabinete de Intercâmbio e Pós-graduação do Instituto Superior Técnico de Angola.

Pós-graduado em Agregação Pedagógica para Docência Universitária pelo Instituto Superior Politécnico Deolinda Rodrigues (2019) e participou do Vº Fórum Internacional sobre Gestão e Educação FIGEV – S. Paulo, Brasil (2014).

Organizado pela Associação de Estudantes da FLUAN & CE3L (Centro de Estudos Literários e Linguísticos Litteragris/2019), o autor frequentou ainda o Curso de Teoria da Literatura e Crítica Literária.

Mozier Jocand tem textos publicado em revistas, antologias, jornais, sites e ou blogs. É investigador, comentarista para questões da realidade social e cultural. É conferencista. É Poeta & Prosador.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorCalou-se para sempre a voz da lenda do Rock, Tina Turner
Próximo artigoAs Figurinhas do WhatsApp – Crisóstomo Ñgala

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui