“Zé Viola brindou a geração 60 da maneira mais inédita e condigna”, Félix Miranda

0
273
Félix Miranda é jornalista e escritor angolano. Foto: DR

O jornalista e um dos conselheiros da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana (ERCA), Félix Miranda, teceu estas considerações nesta terça-feira, 17, em Luanda.

Falando em exclusivo ao Portal Marimba Selutu, o também escritor e antigo jornalista do Folha 8, disse que o artista era muito natural nas suas exibições, mas com um sentido criativo fora de série no que toca as actuações e interpretações musicais.

“O malogrado Zé Viola brindou a geração dos anos 60 da maneira mais inédita e condigna. Recordo que o Zé Viola, com as suas músicas em língua umbundu e interpretando artistas brasileiros da época e outros nacionais, emprestava à Rádio Benguela (a primeira Rádio de Ondas Curtas a funcionar em Angola na era colonial) um condão já naquela altura de um certo nacionalismo”, frisou o jornalista, acrescentando ainda que marcou a sua geração como um grande intérprete em particular para os benguelenses.

O músico, compositor e violinista, José da Silva “Zé Viola” morreu na última sexta-feira, 13, aos 79 anos depois de ter caído do primeiro andar de uma edifício, na Baía Farta, em Benguela.

Para saber mais sobre a morte de Zé Viola, clique aqui.

Deixe o seu comentário
Artigo anterior“A inspiração do ‘Poemas para Luanda’ é a vivência do Cazenga”, refere Edson Neves
Próximo artigoJosé Luís Mendonça é o melhor jornalista da SADC 2021

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui