Livro: Carlos Lamartine estreia com “Ser Poeta em Harmonia e Silêncio” em Luanda

0
98
- Publicidade -


O músico e compositor Carlos Lamartine lançou esta quarta-feira, 29, a obra literária “Ser Poeta em Harmonia e Silêncio”, na Liga Africana, em Luanda. A chancela é da Mayamba Editora, de Arlindo Isabel.

De acordo com o Jornal de Angola, Carlos Lamartine explicou que considera o livro uma antologia de versos por comportar todas as suas principais obras publicadas em diferentes formatos.

O músico e investigador cultural abordou que outros projectos como “O perfil histórico do Semba” estavam condicionadas por questões financeiras.

Trata-se de um livro especificamente pormenorizado sobre o que é o semba, a sua natureza, perfil,  percurso e perspectiva.

Doutorado em História, Lamartine realça que “é sobre a música angolana, é um historial resumido da comparticipação de todos os artistas que eu me lembro que participaram no processo da construção da música angolana desde 1932 a 2005. Conto a história de algumas das músicas, tenho o registo cronológico do percurso de todos os artistas que deram esta contribuição e estamos a tentar consolidar este conhecimento com outras contribuições”.

Apesar de ter nascido em Benguela a 29 de Março de 1943, o Marçal, em Luanda, foi o bairro onde Carlos Lamartine deu os primeiros passos musicais.

Antigo regente principal do Grupo Coral Gigante do Acto da Proclamação da Independência de Angola, no dia 11 de Novembro de 1975, e do Coral no Acto da Tomada de Posse do 1º. Governo da República Popular de Angola, que teve lugar na Câmara Municipal de Luanda.

Para além de ter sido adido cultural na República Federativa do Brasil, Lamartine é quadro reformado do Ministério da Cultura. Teve várias distinções, como o Prémio Nacional de Cultura e Artes na categoria de Música, em 2017, e Prémio Carreira no AMA (Angola Music Awards). Foi ainda homenageado no Festival da Canção de Luanda da LAC, em 2013, numa edição onde os concorrentes interpretaram temas de sua autoria.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorCientistas querem descobrir novas espécies no Rio Cuando
Próximo artigoProtesto “fica em casa” cria divisão da classe artística angolana

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui