Destacado contributo de Zé Du Pau na promoção da música angolana

0
99
- Publicidade -

A promoção, valorização, preservação e internacionalização da música angolana foram os contributos o músico que Zé Du Pau deu à cultura nacional desde a época colonial

Redacção

O reconhecimento foi feito pelo Ministério da Cultura, União Nacional
dos Artistas e Compositores – Sociedade de Autores (UNAC – SA) e músicos diversos, por meio de notas de condolências pela morte do artista, ocorrida na madrugada de sexta-feira, 29 de dezembro último, no Hospital Geral de Luanda.

Segundo a Angop, o Departamento Ministerial referiu que “Zé du Pau escreveu uma página na história da música angolana, ficando marcado pelos sucessos “páginas rasgadas do livro da minha vida” e “se te meteres na minha vida”.

Exemplo de determinação e coragem, Zé du Pau deixa um legado e um
exemplo que deve ser seguido pelas novas gerações em prol da divulgação e da preservação da cultura angolana, em particular, e da música angolana em particular.

Por outro lado, o músico Belchior Calueyo “Anjo Blex” referiu que Zé Du
Pau era um artista exemplar, que sabia interagir melhor entre os  fazedores da arte e incentivava os novos talentos a saberem representar condignamente o país.

Já José Mariano Santos sublinhou que o malogrado foi sempre uma grande referência na música nacional, cujas canções tiveram sempre a aceitação dos consumidores nacionais e estrangeiros.

O coordenador provincial da Huíla da União dos Artistas e Compositores
UNAC-EP, Serafim Afonso, reafirmou que as suas músicas serão eternizadas pela classe artística do país.

Na ocasião, exprimiu, em nome dos artistas huilanos, o seu sentido de pesar, considerando uma perda grande.

Zé Du Pau começou a sua carreira, em 1970, como guitarra solo do
conjunto Os Corvos, do qual foi um dos fundadores, com Gildo Costa (vocalista principal e compositor), Zeca Pilhas Secas (viola baixo e ritmo), José dos Santos (vocal), Didino (tambores) e Novato (vocal e dikanza).

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorVladmiro Gonga – A magia de pensar grande – Michael Joackson, Rio de Janeiro
Próximo artigoGrupo Calema anima fãs no Cine Atlântico

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui