Vladmiro Gonga – A magia de pensar grande – Michael Joackson, Rio de Janeiro

0
113
- Publicidade -

Combinando ritmos populares tradicional do continente africano como com o Jazz e Bossa Nova, o artista que tem forte inclinação na Música Popular moderna de Angola é um compositor que trabalha como violinista arranjista e pesquisa musical. Formado em música na antiga Academia de Música INFA e mais tarde no Brasil, Gonga é autor de várias músicas que já se encontram estampadas no “Massemba Jazz”, álbum gravado no Brasil com produção e arranjos do guitarrista brasileiro
Maxi Viana, contando com a participação de Filipe Mukenga e Carlito
Vieira Dias.

INFO

Livro:  A mágica de pensar grande
Lugar:  Rio de Janeiro
Personalidade: Michael Jackson 

Quando Vladmiro Gonga está Fora do Palco

Livro:  A mágica de pensar grande, de David J. Schwartz

“É um livro de auto-ajuda onde podemos aprender que o único meio de
realização de grandes coisas é pensar grande, pois não precisamos ser
doptados de capacidade intelectual fora de série para obter sucessos no
trabalho e alcançar prestígio, dinheiro ou influência. Ensina que o poder
está na nossa mente”.
O livro foi publicado pela primeira vez em 1959 e já vendeu mais de 4
milhões de cópias, ajudando pessoas a definir seus objectivos e pensar
positivamente para alcançá-los. O autor dá um passo-a-passo sobre como
conseguir o que se quer, alterando os seus padrões e hábitos de
pensamento.

Personalidade: Michael Jackson

“Adoro ver e ouvir Michael Jackson, pois ele mudou e influenciou o
mundo com a sua maneira de fazer música! Era muito profissional,
cantava tocava dançava e fazia muitas outras coisas como coreografias de
dança, reprodução musical e outras. A cada 100 anos, o mudo recebe um
músico como Michael Jackson, ele é o maior de todos os tempos, mesmo
morto faz dinheiro, sendo o único músico no mundo que até a ao
momento tem fãs a nascer, bebés que nasceram em 2017, um ano depois
conseguem aceitar as obras de Michael Jackson. Foi um famoso cantor, compositor, dançarino, produtor, empresário, arranjador, vocal, filantropo, pacifista e activista estadunidense”.

Lugar: Rio de Janeiro, Brasil

“Gostaria viver na cidade do Rio de Janeiro, por ser músico! Acredito que
Brasil é o país da música e se a sua língua oficial fosse inglês seriam o
mundo da música. Já vivi lá e vi que as pessoas são bastante culturais,
sentimos isso quando estamos no palco a cantar. Fiz vários concertos lá e
o que me marcou foi um concerto que havia feito e a plateia eram moças
de 60, 70, 80, 90 até 100 anos e cantavam comigo o repertório que fiz pra
elas”.

Deixe o seu comentário
Artigo anterior“A banda é o coração e sucesso do músico”, guitarrista Divino Larson
Próximo artigoDestacado contributo de Zé Du Pau na promoção da música angolana

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui