“O trabalho da gráfica ainda é bastante oneroso”, defende Arlindo Isabel

0
121
Arlindo Isabel foi jornalista e tem emprestado o seu conhecimento na sua nova aposta editorial "Mayamba Editora". Fotografia de Domingos Barrete
- Publicidade -

Estas declarações foram feitas nesta quinta-feira, em Luanda, pelo editor da Mayamba Editora, durante a conferência sobre os “Desafios e Oportunidades das Editoras em Angola”, na habitual Conversa da Academia Angolana de Letras. O evento foi transmitido através da plataforma Zoom.

“O trabalho da gráfica ainda é bastante oneroso, fundamentalmente devido à impressão do papel, das chapas de zinco e tintas para impressão”, defendeu Arlindo Isabel, acrescentando que os manuais escolares franceses não são produzidos por editoras inglesas, nem os manuais espanhóis produzidos por editoras portuguesas”, apontou o editor angolano.

O responsável entende que, caso esta responsabilidade seja entregue às editoras angolanas, “o Estado estaria a exercer um trabalho relevante em prol da valorização do produto e da produção nacionais”.

Durante a Conferência, destacou igualmente a necessidade do aprimoramento dos níveis intelectual, técnico e profissional dos editores, a procura de linhas de crédito bonificadas para a edição de livros e a redução dos custos de impressão.

Arlindo Isabel pronunciou-se ainda sobre a necessidade de o Estado angolano desempenhar um papel mais activo e de relevo no apoio ao trabalho dos editores angolanos.

A próxima “Conversa da Academia à Quinta-feira” será com o editor e escritor angolano Ondjaki, sob moderação de Boaventura Cardoso, e terá como tema de debate “Vamos falar do futuro”.

Academia Angolana de Letras (AAL) é uma associação privada, sem fins lucrativos, de carácter cultural e científico que tem como objectivo promover o ensino, estudo, incentivo da língua portuguesa e das línguas nacionais e a sua relação entre elas.

A Academia realiza regularmente, às quintas-feiras, conferências com figuras do mundo das letras e de outras áreas do saber, que falam da sua (e de outros) trajectória de vida e da obra, bem como de questões ligadas à sociedade angolana.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorLuanda acolhe Iª Convenção Geral da Terceira Divisão
Próximo artigoMúsico Kapacata apresenta novo CD em Luanda

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui