Partidos políticos lamentam morte de Nagrelha

0
40
- Publicidade -

A morte do kudurista angolano deixou a sociedade em choque. Tirando elevada manifestação popular e de colegas da classe artística, as organizações partidárias também apresentaram esta semana, as suas mensagens de condolências e reconhecimento da dimensão de Nagrelha, que vai a enterrar na Santa Ana.

O comunicado do Secretariado do Bureau Político do MPLA, partido que artista participou nos seus comícios com regularidade, elogia a forma ímpar e inigualável de ser e estar de “Nagrelha”, que inspirou e mobilizou muitos artistas a aderirem ao estilo Kuduro.

“O músico notabilizou-se como um dos mais carismáticos integrantes do grupo musical Os Lambas, responsável pela introdução de um novo paradigma no estilo musical kuduro, marcado por composições com apreciável rima e elevada capacidade criativa, que catapultaram o grupo ao patamar dos melhores no estilo em referência”, lê-se no comunicado.

Por outro lado, o principal partido na oposição UNITA, endereçou votos de pesar à família, amigos, fãs e ao Ministério da Cultura e Turismo, considerando “Nagrelha” como um ícone da música popular, especialmente da juventude angolana.

“Falar da morte de ‘Nagrelha’ é falar de uma dor que trespassa os corações de milhares de angolanos jovens e adultos amantes do Kuduro”, refere num comunicado.

“Carismático, criativo e excêntrico, filho do povo e um dos símbolos da juventude que não se resigna ante as dificuldades sociais e económicas, ‘Nagrelha’ deixa um grande reportório musical que o imortaliza e mantém presente na memória cultural de Angola”, sustenta a organização política.

O cantor era dono e senhor de grandes ditados como: “O Kuduro sem o Nagrelha é tipo uma caserna sem plantão”, “quando o tiro não vos mata, quem vos mata é quem dispara” e “a morte e o sono são irmãos de pai e mãe, mas um não sabe brincar”.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorSociedade reage à morte do “Estado Maior do Kuduro”
Próximo artigoNagrelha o filósofo do Kuduro e do seu tempo – Agostinho Gayeta

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui