26ª Bienal do Livro de São Paulo marcada para Julho

0
73
Bienal de São Paulo é o maior evento de livros do Brasil e da América Latina. Foto: DR
- Publicidade -

A 26ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo (BILSP) foi marcada de 2 à 10 de Julho de 2022, tendo Portugal como país “convidado de honra” do evento.

A cerimónia de assinatura do acordo ocorreu em 31 de Julho do ano passado, no Consulado Geral de Portugal em São Paulo e contou com a participação de Vitor Tavares, Presidente da CBL e Luís Faro Ramos, Embaixador de Portugal em Brasília.

“Ter Portugal como país convidado de honra na 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, além de ser um privilégio, acontece em um momento muito especial. O ano de 2022 é o bicentenário da independência do Brasil, então temos muito o que celebrar juntos”, explica Tavares.

De acordo com o Portal Radar, o momento foi presenciado, entre outras individualidades, pelo Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, o Cônsul-Geral de Portugal em São Paulo, Paulo Jorge Nascimento, a diretora executiva da CBL, Fernanda Gomes Garcia, e a gerente de Relações Internacionais, Fernanda Dantas.

A participação de Portugal na BILSP resulta do convite da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e tem como objectivo fortalecer a presença portuguesa no mercado editorial latino-americano, especialmente no Brasil, bem como ampliar a exportação de livros e direitos autorais entre Brasil e Portugal.

“Queremos estreitar as relações e promover a cultura do convidado junto das mais de 600 mil pessoas que visitam este evento, que reúne editoras, livrarias, distribuidoras e outros profissionais do livro”, cita o comunicado que tivemos acesso.

O país homenageado terá um pavilhão próprio, onde será desenvolvida uma programação literária, cultural, turística e de negócios, que possibilitará o intercâmbio entre escritores, editores e público em geral.

Deixe o seu comentário
Artigo anterior“Com a eleição, pretendemos anular as práticas de descriminação”, Ermelinda Milena da Costa
Próximo artigoGlória da Lu doa 60% do prémio ao Hospital Municipal de Cacuaco

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui