Ery Claver estreia filme que retrata presença chinesa em Angola

0
424
- Publicidade -

“Nossa Senhora da Loja do Chinês” é o título da primeira longa-metragem do cineasta angolano Ery Claver, a ser lançado ainda nesta, em Luanda. A informação foi prestada durante a sua apresentação na sétima edição do Fuckin’ Globo, que decorre de 19 de Agosto a 2 de Setembro, no Hotel Globo, em Luanda.

 

De acordo com o profissional, o filme aborda várias questões urbanas e destaca a presença chinesa no país. O roteiro do filme que roda vários pontos de Luanda conta a história de Domingas, uma senhora amargurada pela perda da única filha, que vê o marido Bessa, à beira da morte. Para reconstruir o lar abalado, aceita comprar a novidade do bairro: uma pequena estátua de plástico da Virgem Maria, vendida na loja de Zhang Wei. 

O cineasta explicou que “Nossa Senhora da Loja do Chinês” congrega elementos da junção de cinco curtas-metragens desenvolvidas em diferentes edições do Fuckin’ Globo, como “Lúcia no Céu com Semáforos”, apresentado em 2018, numa parceria com Gretel Marín, bem como “Enóquio que não tinha coração”, realizado em 2020, em parceria com Evan Cléver.

As produções previstas na programação do Fuckin’ Globo incluem ainda a curta-metragem “Há um zumbido, Há um mosquito, são dois”, em que o realizador “espreita a figura esquizofrénica do artista angolano Toy, que assume o papel de actor”. Nesta edição há, igualmente, a estreia da curta “A Luz no Quarto era Vermelha porque não Existia Amor”, um documentário que segue intimamente duas figuras femininas, observando de forma repetitiva a sua rotina laboral. Por fim, para fechar a programação está prevista a exibição da curta “A Love Story About Power”, uma compilação de curtas-metragens sobre as consequências trágicas do poder. 

Ery Claver produziu as curtas-metragens experimentais “A luz no Quarto era Vermelha porque não existia amor” e “Há um zumbido há um mosquito são dois”, como realizador e guionista. Ambas as obras foram exibidas nas edições de 2016 e 2017 da exposição colectiva “Fuckin’ Globo”, em Luanda.

O trabalho do realizador foi, também, exibido em diversos festivais internacionais, com destaque para o de Curta-Metragem de Clermont-Ferrand, na França, o International Experimental Filmand Video Festival, em Zurique e o de Cinema Africano, nas cidades de Tarifa e Tânger. O realizador também assina o guião da primeira longa-metragem da Geração 80, “Ar Condicionado”, em parceria com Fradique.

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorCândido Ananaz homenageia Paulão com música
Próximo artigoMorreu aos 30 anos Luís Silva, técnico de som da rádio MFM

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui