“Se houvesse quem patrocinasse, o Festival da Canção de Luanda iria para outras províncias”, Luisa Fançony

0
250
Luisa Fançony é a directora da LAC. Fotografia de Domingos Barrete
- Publicidade -

Incentivar a criação do género canção, apoiar o desenvolvimento da criação de originais de qualidade e motivar os músicos e compositores a desenvolver e aprofundar as suas aptidões musicais dentro do espírito da competição saudável fazem parte de um leque de objectivos do concurso.

Estas palavras foram proferidas nesta quarta-feira, 4, pela jornalista e directora da rádio Luanda Antena Comercial – LAC, Maria Luisa Fançony, depois do final da apresentação dos concorrentes da 24ª edição do Festival da Canção de Luanda, no Palácio de Ferro, em Luanda.

Segundo Luisa Fançony, que falava em exclusivo ao Portal Marimba Selutu, o órgão de comunicação que dirige não passa de uma empresa pequena e que não podem “se dar ao luxo” de querer ir parar outras províncias.   

“Nós não temos esta veleidade de irmos para as outras províncias. Mas, se houvesse quem patrocinasse, quem paga tudo, a LAC, logicamente iria para outras províncias de Angola e não negaria dar o seu contributo. Vamos nesta lógica se tiver tudo pago, pois somos uma empresa pequena e já nos basta esta tarefa [de realizar em Luanda]”, revelou a jornalista, acrescentando que a LAC já promove o concurso com algum custo e os patrocínios que recebem, muita vezes, não suportam as despesas porque a cada ano tudo fica mais caro.

Questionada se a parceria existente com o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente não seria a oportunidade para a efectivação desta meta, Luisa Fançony afirmou que pode ser possível, mas com um contributo e força considerável da comunicação social.

Sobre o modelo do evento, a também apresentadora de programas culturais, disse que o Festival da Canção de Luanda não surgiu para abolir outros festivais ou concurso que existem em Angola, mas tem um foco específico devidamente estruturado.

“O nosso foco é a canção que cuida da palavra inserida numa melodia. E isto tudo deve se encaixar. O ritmo é indiferente, até porque nós gostávamos de ter mais ‘semba canção’, mas há uma variedade muito grande [ de estilos].”, explicou a também co-fundadora da LAC, que acompanhou a apresentação dos concorrentes do festival.    

Para o aniversário da LAC deste ano, serão realizadas uma série de actividades culturais que iniciarão no dia 24 de Setembro, com o Festival, culminando dois dias depois. Entre as realizações constam uma feira, exposição de poemas e quadros de variados artistas e de instrumentos musicais cedidos pelo Museu Nacional de Antropologia.

O Festival da Canção de Luanda é um concurso anual de compositores de canções, que abrange concorrentes de todo o território nacional, promovido pela LAC desde o ano de 1986. 

Deixe o seu comentário
Artigo anteriorGrande vencedor do Festival da Canção vai receber 3 milhões de Kwanzas
Próximo artigo“Desejamos que um músico do Rivungo chegue à final do Variante 2021”, Alberto Chinjumbia

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui